18.5.06

O pingo do J

Inocência abriu os olhos semi cerrados
Suaves como o desabrochar da rosa mais doce
Orvalho da manhã seguinte... e seguinte... e seguinte
Zonza pela essência de seu próprio ser
Apoderou-se da navalha dos sábios
Orçou todo peso de seus sentimentos e
Zuniu como raio para longe da esfera terrestre
Nunca mais se viu
Rubrica de um sonho sem asas

2 De lírio(s):

Anonymous julia ...

sonho sem asas não é efêmero
:)

18 maio, 2006 18:43  
Blogger nada especial ...

que massa teu blog 5 ... lendo.

23 maio, 2006 13:55  

Postar um comentário (Comentar)

<< Início