12.3.06

pós escrito

eu vou usar teu nome para cobrir meus pés inchados,
usar teu nome para pintar as paredes que não há
usar teu nome como brinco e colar
usar teu nome em tudo que existe
em cada verbo
em cada sílaba sílfide cega
que minha boca ousar pronunciar.

vou usar teu nome para regar as urtigas do jardim da cabeça
para afagar os vermes
que habitam fielmente meu estômago,
vou usar teu nome ao arrotar a sobremesa
e cada verso meu será
pra te dizer
que eu vou usar teu nome
para sobre ele solenemente defecar,
por toda a minha vida,
saravah.



Luiz Carlos Canário
Direto da coronária anfíbia.

0 De lírio(s):

Postar um comentário (Comentar)

<< Início