29.6.05

A Morte da Poesia

Então a poesia se fez bonita
E saiu para passear ao lado da morte
Vestiu-se toda de preto
Como num casamento fúnebre
Com direito a véu, chapéu e grinalda
Não derramou um gota de lágrima
Mas se fez chorar nos ausentes

Pois que ela sorriu e partiu
Como num desfecho trágico
De um filme de ação
Lá se foi a poesia toda engraçada
Pele branca quase rosada
Com rebolado de dama de salão
E nunca mais passou por aqui
Visitando apenas os sonhos
De uns poucos alguns
Que insistem em escrever
Uns tais versinhos

0 De lírio(s):

Postar um comentário (Comentar)

<< Início