7.5.05

um batalhão de coisa nenhuma

as rosas, mesmas, exaltam olor
vertem o mais belo dos perfumes
insatisfeitas, destroem o meu por costume
meu anelo, de prover, de te propor

dos casos e no descaso
dos vazios de coisa nenhuma
tragam os meus restos
como hóstia do acaso

sorva deste sacrifício
de plenitude vã
sã é consciência
compelido em suicídio

e agora que verteis
o sangue
o negro
o vazio
já não me chamas
não mais
não por acaso
eis
meu ocaso

2 De lírio(s):

Blogger mabem ...

bonito isso... pena ter vindo da dor...

07 maio, 2005 04:26  
Blogger 5 ...

a dor é a falsa moral.

07 maio, 2005 17:55  

Postar um comentário (Comentar)

<< Início