8.5.05

Lápide I

Um dia eu quis te fazer um filho
Plantar em ti uma semente
Como prova de minha devoção

Agora nossos destinos foram queimados
Como a cera da vela que derrete
E arde na carne por baixo da unha

Não verei nossa barriga crescendo
O quanto somos humanos
Cheios de defeitos de fabricação

Lembra?
Por você eu mato ou morro...
Mas como se já estou morto?

0 De lírio(s):

Postar um comentário (Comentar)

<< Início