23.12.04

Testamento

Deixo, antes de tudo, um imenso desejo de paz aos que precisam. Aos meus amigos, os poucos e quase verdadeiros, deixo as poesias guardadas no HD de arquivos-documentos. Aos meus familíares deixo um imenso beijo e a certeza de que estou bem e por favor não chorem por mim. As mulheres que um dia tive, finalmente vocês se livraram de mim, por isso não preciso deixar nada. Ao meu verdadeiro amor, deixo apenas uma lágrima de tantas que já foram derramadas. Aos meus companheiros de banda, deixo as letras ainda inéditas que estão no mesmo HD supracitado. À minha mãe, deixo muitas rezas e pensamentos positivos. Ao meu pai, deixo o espelho que um dia criei de herói periódico.

À todos: Deixo o pedido de que tomem uma cana em homenagem a pessoa que vocês julgam que pude ter sido. Deixo também guardado comigo, no túmulo, todos os segredos e ressentimentos. Desejo também um feliz natal e um ótimo ano novo, só para manter a tradição e que o bom velhinho deixe de iludir as criancinhas com essa bosta de cultura hipercapitalista ou que pelo menos ele venha de bermudão de surf e fumando muita maconha, pra ter uma característica bem do hemisfério sul.

0 De lírio(s):

Postar um comentário (Comentar)

<< Início