16.8.04

Ao Som do Raggae

Vai fluir
Deixa fluir
Que cheiro é esse que vem lá?

E vem de branco e vem de lá...
E vem de branco e vem de lágrima...
De cinzas nos olhos

Às tantas da manhã
Só as espumas das ondas
E o ébrio que nos deixa sóbrio

Veículos passeam ao som do raggae
Todos felizes a balançar
As vidas não param de voltar
Às suas próprias vidas
De lá para cá
No movimento e ao som do raggae
Um a um

0 De lírio(s):

Postar um comentário (Comentar)

<< Início