12.6.04

Celebrando a inércia que contempla o meu asilo holístico, o fato inerente ao verbo e ação desregrada de fins. Os pontos comuns que dominam o deslumbre, o fascínio, o enlevo. Nada como o dia após formulando o enlace e destruindo todo o elã que era alimentado, e logo, fruto de influências externas. O comum, caiu em si ao último gole da minduba de realidade. Trela pra lá, trela pra cá, faz um "uutererê" e segue a trilha repleta de percalços, desvairadamente sã. Um dia quem sabe, as mãos estarão na obra. Enfim, o fim.

1 De lírio(s):

Blogger mabem ...

Comentando!!!

15 junho, 2004 20:14  

Postar um comentário (Comentar)

<< Início