5.2.04

Cachorros mansos, mordem apenas gansos

Ventilador girando, girando, desconcertando o ar imóvel. O galo cantou, cantou, morreu, de bronquite. Rotina que desabou, mas não desmanchou. Manchou, isso sim, bela mancha de monólogo. Ah, com era bom. Se foi. Parecem décadas de sobriez. Longos vestidos, derramando no espaço... seu brilho. Convenhamos, não é de seu feitio. Tome jeito meu rapaz! Quanto amargor, veja que belas plumas. Sopro de cor. Ponto. Paragrafo. Ooops, paraninfo? Que nada, sabotagem, toc toc. Cof, cof. Será bronquite? Contraí? Logo agora, o que faço com este sorvete?

0 De lírio(s):

Postar um comentário (Comentar)

<< Início