26.1.04

Caralho, que divertivo...

o cara do memórias de um cheira cola quis saber a quanto tempo este memorável existe e fui dá um saque no início de tudo para saber, muita merda reler aquelas porcarias todas...

eis quando a Cogumelos deu uma canja no aniversário de 10 Anos da Mancha Azul...

"o que está desligado do mundo finalmente? Meus desejos carnais ainda me consomem como um vício, um crivo (as catacumbas estão mexendo, balançam os esqueletos), ontem tive o grande privilégio de fazer uma social na festinha de 10 ANOS da MANCHA AZUL, clima totalmente tosqueira-fuleragem-total, foi um quebra tudo e gritos em coros de pancadaria in / consciente e consistente, muitos daqueles malaquias encontrados como gatos miados e calados em uma minoria em shows alternativos, juntos em um só propósito ainda não capitados pela minha finita capacidade intelectual falível.
De volta a meus aposentos transcendentais, a necessidade me consome, EU ESTOU NO MEIO DE VÓS.

postado por: Norkoroa 4:27 PM


como minha mãe sempre dizia:
-ESSA PORRA DESSA TELEMERDA!!!
filhos das putas comedores de dinheiro, pensam que são os bambambans das telecomunicações, só pq. colocam gostosonas que fazem novelas que são clones de outras novelas, para fazerem propagandas ridículas e enganosas.
esses preconceituosos tiveram a audácia de me deixar o fim de semana inteiro sem conexão, eu tive que tomar um táxi pro mundo real, para ir na casa de um conhecido, para postar algo, que nem foi interessante, só para que meu vício fosse ferido, mas não mutilado, como faço agora, além de que agora, não tem nem mais graça, já se foram todas as idéias dramatico-etílicas imagináveis, sinto-me um poço sem fundo furado.
mandaram um office-boy fazer serviço de homem para resolver o meu problema, mas nada de solução, conheço os meus direitos, é por isso que mando aquele filho de chocadeira menstruada ir tomar no olho da coacla, ora quem já se viu, desacatar tão brutalmente um consumidor assíduo, quase que eu ía falar com o gerente, mas os caras chamaram um outro forte candidato a NYNGÈN (ler-se nínguem, puxando sotaque americanizado) que nas aulas de estações de telefônia convencional estava presente de corpo e mente, em vez de estar pensando na hora do almoço para poder ir tomar uma cervejinha com caldinho de peixe lá no buraco da Andréa, perto do cefet-al (quase subindo a ladeira da Catedral) como aquele inquilino do inferno que venho no domingo.

postado por: Norkoroa 4:24 PM "

0 De lírio(s):

Postar um comentário (Comentar)

<< Início