28.11.03

Ânsia de um Desejo

Lá pelas tantas da madrugada, a mente continuava sã, mas o corpo vomitava a ânsia do âmago de desejos bruscamente involuntários.

- 'Como pode um homem de minha idade, passar pelo que passo neste exato momento?
Mas a dúvida só lhe corroia o espírito, assim como os vermes saboreando os restos dos olhos de um cadáver em meio a sua decomposição.

- O que são os fatos se não mera ficção psicológica?
Mas as dúvidas só lhe cortavam o estômago, o que naquele momento não havia de ser problema algum, pois o único nervo que ainda lhe proporcionava alguma sensação fora arrancado aos dentes por aquela que lhe fazia sexo oral com um falso entusiasmo.

E para vocês, a vida continua!

0 De lírio(s):

Postar um comentário (Comentar)

<< Início