7.3.03

silêncio no rosto

não mais existem poetas
nem protagonistas de poemas mórbidos
outrora a face terrestre chorara com sua demora
porém descansarei ao sétimo dia
se é que lembro por quando começar a contar
sua feição nos traz alegria imensa (alegria)
seu jeito de sorrir e se expressar
seu olhar curioso (muito curioso)
o riacho de fogo calmo em teu beijo gostoso
no aperto em fotos citilantes relançados no rosto
no lago e no foço, no poço da palavra "amar" (deitar)

0 De lírio(s):

Postar um comentário (Comentar)

<< Início