28.2.03


um carrossel de fogo vindo do céu como um sopro de dragão
e da areia da praia vislumbrando toda aquela celestial encenação
da fúria dos diabos contra os deuses dos cometas
protejam-se e como o vôo inerte do beija-flor
fixaram-se todos os olhos nessa direção
e ao invés de cavalos em série, caveiras em paralelo
numa roda de carroça velha voadora

0 De lírio(s):

Postar um comentário (Comentar)

<< Início